Rotary trabalha pela paz

Postado em: 16 de Julho de 2019

O mundo vive um dos piores momentos no quesito violência social. O ódio e a intolerância invadiram o tecido social, destroem vidas e apagam as esperanças de uma sociedade mais justa e solidária. Essa é a realidade do mundo atual, o qual exige providências urgentes dos governantes e da sociedade organizada, no combate a intolerância e o ódio nas suas mais variadas formas. Não é um problema de fácil solução. Os conflitos de interesses e as lutas pelo poder, são obstáculos que dificultam e anulam a força do diálogo como instrumento eficaz na solução de conflitos. O diálogo é o caminho à ser seguido, as armas bélicas e químicas não eliminam os conflitos, pelo contrário, fomentam as guerras, alimentam o ódio e destroem vidas.  A violência é um mal sem fronteiras, atinge o Brasil e os demais países do mundo. Mas, nesta rápida reflexão sobre este assunto, vamos ater ao território nacional, o nosso querido Brasil.

O Brasil  têm mais de duzentos milhões de habitantes, é um país rico em recursos naturais, está classificado entre os países de maiores economias do mundo, porém, ostenta o título de campeão em desigualdade social e convive, passivamente, com grande parte da sua população analfabeta, doente, desempregada e vivendo abaixo da linha da pobreza. Apesar desse quadro caótico, ainda se orgulha em hastear a bandeira da democracia, da liberdade e da esperança de dias melhores. É um país de um povo bom, trabalhador, religioso, inteligente, sem maldade, fácil de ser conduzido e muito solidário. De certo tempo para cá, os falsos e mal intencionados políticos, se aproveitaram da fragilidade financeira e da ignorância política de grande parte dos brasileiros, dilapidaram o país, destruíram as famílias e corromperam a população com ideologias contrárias a formação cultural e as tradições do bem intencionado povo brasileiro. Graças ao avanço da tecnologia, mormente na área da comunicação, o cidadão está melhor informado e mais participativo nos assuntos de interesse geral.

Dito isso, a pergunta é: onde entra o Rotary e os rotarianos nesse contexto? O Rotary é uma organização internacional, composto por homens e mulheres voluntários, que prestam serviços humanitários às comunidades carentes e lutam pela paz através do servir. Os rotarianos são os executores dessa nobre missão, no mundo inteiro. No Brasil, no Distrito 4.530, Goiás, Tocantins e Distrito Federal, neste ano rotário, sob a liderança do Governador Alberto Sousa Brito, os rotarianos estão conectados entre si com a bandeira de prestarem o melhor trabalho possível às comunidades carentes dessas unidades da federação. As metas do Governador são muitas, entre as quais, estão a continuidade do programa para erradicar a poliomielite da face da terra, o crescimento e fortalecimento dos Rotary Clubs, a preservação do meio ambiente, a preservação dos recursos hídricos, a busca da paz na sociedade e a defesa intransigente da ética como um princípio que não pode ter fim. O rotariano é um formador de opinião, não deve ficar alheio aos problemas sociais que dificultam a boa convivência e a paz entre as famílias. Se buscamos a paz através do servir, cumpre-nos trabalhar, diuturnamente, envolver a sociedade nessa proposta e, juntos, construirmos uma sociedade sem ódio, mais humana e solidária.

 GERCY JOAQUIM CAMÊLO

Governador 2012-13 e Presidente da Comissão Distrital da Imagem Pública do Ano Rotário 2019/2020          

Localizar site dos clubes